A constituição do si de acordo com o segundo discurso de Sócrates no «Fedro»

  • Samuel José Oliveira CLEPUL
Palavras-chave: Ψυχή, mistura, «lugar supraceleste», «ἀλήθεια x λήθη»

Resumo

Este artigo considera o Fedro, 246css. e a caracterização que faz da ψυχή humana com base na imagem de um auriga e dois cavalos. Procura perceber o sentido e as implicações desta imagem, a função de cada um dos seus elementos e a relação entre eles, mas também todo um conjunto de noções a que tal imagem aparece associada: as noções de asa, tensão, «lugar supraceleste», peso, confusão, conflito, queda. Neste contexto, o Fedro acentua que cada ψυχή humana tende de raiz para algo superlativo, inexcedível (ou para o que se designa como «ὑπερουράνιος τόπος» sc. «ἀληθείας πεδίον»); mas acentua igualmente que essa tensão está obstaculizada pelo oposto, i.e., por λήθη ― e, na verdade, por uma grande multiplicidade de fatores de λήθη. Assim, as análises do Fedro acabam por mostrar que a ψυχή humana está intrinsecamente marcada pela mistura ― ao mesmo tempo constante e variável ― entre ἀλήθεια e λήθη.

Publicado
2020-12-23
Secção
Artigos Multitemáticos