As As traduções d´´ Os Lusíadas na Polónia ou a revisitação de Camões entre «os Sármatas» e «os Polónios»;

(questões históricas, culturais e sócio-políticas)

Palavras-chave: Camões, estudos ibero-eslavos, história de ideias, tradutologia, Camões Iberian and Slavonic studies, History of Ideas, Traductology

Resumo

1. Em português:

O poema épico Os Lusíadas (1572) de Luís Vaz de Camões gerou cópias, imitações e traduções, entre elas a primeira tradução polaca: Luzyada de Jacek Idzi Przybylski (Cracóvia, 1790). O poema tem o poder de levantar questões culturais, sociais e políticas, tornando-se ponto de partida para a formulação de várias teses em diferentes épocas. A obra de Camões é um pretexto à meditação sobre o passado da Polónia na época do Romantismo e hoje.

Camões convida-nos a uma viagem imaginária para o baluarte da Cristandade de Leste, contando não somente aquilo que tinha acontecido na época dos Descobrimentos, como rumando também àquilo o que podia ter acontecido na Europa de Leste aberta para uma viagem imaginária realizada em várias perspectivas metodológicas: históra, literatura, crítica lieterária, história de ideias e tradutologia.

2. Em inglês:

The translations of Os Lusíadas in Poland

Or a revising of  Camões in between «the Sarmats» and «the Poles»

(questões históricas, culturais e sócio-políticas)

 

The epic poem Os Lusíadas (1572) by  Luís Vaz de Camões generated copies, imitations and  translations, in between them the first Polish translation: Luzyada by Jacek Idzi Przybylski (Craccow, 1790). The poem has the power of to raise cultural, social and political  questions, becoming the starting point for various theses in differents epochs. The work of Camões is a  pretext for a meditation about the past of Poland in the epoch of Romanticism and today.

 Camões invites us for an imaginary journey to the Christian rampart of the East, telling not only this what had happened in the epoch of the Discoveries,  but also what might have happened in the Easter Europe cultural space open for an imaginary journey coursing various methodological perspectives: history, literature, literary criticism, history of ideas and  traductology.

Biografia Autor

Anna Maria Kalewska, 0048 605 653 492 Instituto de Estudos Ibéricos e Iberoamericanos da Universidade de Varsóvia

Anna Kalewska é Professora Catedrática no Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da Universidade de Varsóvia, Polónia; foi professora extraordinária (dr. hab., prof. U. V.), segundo o estatuto da carreira docente polaco nos anos 2012 - 2018. Em 1.10.2018 recebu a contatação peramenete na Universidade de Varsóvia, na qualidade da professora auxiliar adjunta (dr. hab.)  É investigadora quer no âmbito da cultura lusófona, da  literatura e do teatro de expressão portuguesas, quer no âmbito da literatura comparada.  Publicou dois livros, Camões, czyli tryumf epiki  (Camões, ou o triunfo da épica), 1999, e Baltasar Dias e as metamorfoses do discurso dramatúrgico em Portugal e nas Ilhas de S. Tomé e Príncipe. Ensaio histórico-literário e antropológico, 2005, ambos na Editora da Universidade de Varsóvia. Traduziu, entre outros, As Naus de António Lobo Antunes, Editora WAB, Varsóvia 2002. Estudou em Portugal com bolsas do Instituto Camões  e da Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa. Participou em colóquios e congressos nacionais e internacionais. É sócio da Associação dos Lusitanistas Polacos (ALP), Associação Internacional de Lusitanistas (A.I.L),  membro da CompaRes – Associação Internacional de Estudos Ibero-Eslavos, do CLEPUL - Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias sediadas na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, do CHAM (Centro de História de Aquém e Além Mar da Universidade Nova de Lisboa), do NETCCON (Rio de Janeiro) e da AICL (Ponta Delgada). Leccionou em várias universidades portuguesas (Universidade Nova de Lisboa, Universidade do Algarve, Universidade de Évora, UTAD) ao abrigo do Programa LLP Erasmus. Publicou cerca de duas centenas de artigos e trabalhos de investigação e de inspiração literárias, em polaco, em inglês e em português, em revistas polacas, portuguesas (Diacrítica, Braga; Revista de Letras, UTAD) e brasileiras (Projeções, Polonicus em Curitiba) e na  Revista da A. I. L. VEREDAS. Recentemente, fez parte da redação dientífica de um volume bilíngue (português e polaco) intitulado Diálogos no Feminino/Dialogi kobiece, Varsóvia – Lisboa 2017: http://www.lusosofia.net/textos/20170513-beata_cieszynska_fabio_mario_da_silva_anna_kalewska_maria_lucia_dal_farra__gabriel_borowski_dialogos_no_feminino.pdf. Vive em Varsóvia. Dedica-se à horticultura e à tradução juramentada, nas horas livres.

Publicado
2019-05-30