O selvagem africano, o falso mouro e o exótico gentio: Imagens dos orientais n’«Os lusíadas» e no presente

Autores

Palavras-chave:

Os lusíadas, Orientalismo e reorientalismo, pós-colonialismo, representação

Resumo

Tomando como pano de fundo as celebrações dos 450 anos da publicação d’OsLusíadas de Luís Vaz de Camões e os vários discursos que se originaram nos media em torno das mesmas celebrações, o presente artigo visa analisar o contributo da obra para a formação e desenvolvimento do discurso orientalista em Portugal. É feito um levantamento dos termos utilizados para referir o povo de África, do Médio Oriente e da Índia ao longo da obra, comparando-os depois com representações em media modernos relativamente aos mesmos povos. Conclui-se que, apesar da distância temporal, essas mesmas representações apresentam maior continuidade e semelhanças do que rutura e diferenças. Na secção final, procura-se reavaliar as diferentes memórias sobre Camões e a sua obra, a história de Portugal e dos povos da África e da Ásia no mundo contemporâneo.

Downloads

Publicado

30-06-2022

Edição

Secção

Artigos Multitemáticos