Gêneros retóricos na «Relação da missão da serra da Ibiapaba», do Padre Antônio Vieira

Autores

Palavras-chave:

«Relação da missão da serra da Ibiapaba», Padre Antônio Vieira, gêneros retóricos, providencialismo

Resumo

A «Relação da missão da serra da Ibiapaba» é um texto do Padre Antônio Vieira de 1660. Após algumas missões frustradas à região, Vieira decide escrever o relato como forma de angariar recursos para os inacianos e, sobretudo, obter posição favorável da Coroa portuguesa. Pretende-se analisar as preceptivas retóricas da «Relação» e o seu pertencimento aos gêneros demonstrativo (ou ecfrásico), deliberativo e judiciário, a partir de autores clássicos como Aristóteles, Platão e Quintiliano. Se por um lado o texto não se coíbe de mostrar a dureza dos escolhos que os missionários enfrentam, por outro lado, Ibiapaba é configurada como um locus amoenus, em termos horacianos. A capacidade descritiva do texto (evidentia) mostra uma série de elementos históricos, geográficos e etnográficos que permitem a compreensão da ação temporal e espiritual da Companhia de Jesus na América Portuguesa, em plena Contrarreforma. A missão a Ibiapaba pretende alegorizar, narrativamente, as conquistas inacianas em terras brasis. Mais do que isso, a «Relação» está assente no pensamento teológico-político providencial da Companhia de Jesus, com a inscrição do futuro nos acontecimentos narrados. Para além dos autores clássicos supracitados, o artigo tem como base os estudos sobre os gêneros retóricos de Rodolpho (2014), Santos (2018 e 2019), Guedes (2014), Pernot (2000) e, no âmbito da alegorização e providencialismo da Companhia da Jesus, Lima (2009), Hansen (1993 e 2017), Sartorelli (2011) e Luz (2018).

Downloads

Publicado

30-06-2022