A quinta estação de Jorge de Sena

  • Francisco Ferreira de Lima Universidade Estadual de Feira de Santana
Palavras-chave: Jorge de Sena, Tempo, Poesia do século XX, Poesia do Século XVI

Resumo

Fundamentado na leitura de alguns poetas do século XVI, que exploraram o topos da mudança, através do qual se constata a irreversível assimetria entre os ciclos da natureza e os da vida humana, o texto apresenta uma breve leitura do poema As quatro estações eram cinco de Jorge de Sena. A meta é, simultaneamente, marcar proximidades e enfatizar diferenças de concepção de tempo ente o poeta do século XX e a de seus antecessores.

Publicado
2019-12-16