São Tomás de Aquino metido num "imbróglio": A demonstração da existência de Deus

  • Samuel José Oliveira CLEPUL
Palavras-chave: essência, existência, confusão, Deus absconditus

Resumo

Este artigo procura esclarecer a tese de S. Tomás de Aquino segundo a qual é possível provar que se pode demonstrar a existência de Deus. A partir das análises da Summa theologica I, q.2 e da Summa contra gentiles i (i-xv), procura-se entender o sentido e cabimento desta tese, as suas implicações e a sua pertinência filosófica e teológica. As análises de Tomás de Aquino vincam a importância da distinção entre um conhecimento a respeito da existência de Deus e um conhecimento a respeito da sua essência, acentuando em cada caso um conjunto de dificuldades e fatores de ignorância. Num contexto em que a noção de confusão desempenha um papel central, Tomás de Aquino procura mostrar a) que, por mais confuso que seja o conhecimento sobre Deus e por maior que seja a desproporção entre a perspetiva humana e a perspetiva divina, há uma notícia indelével de Deus, e b) que tal notícia está simultaneamente associada à incapacidade de conhecer a essência de Deus e à capacidade de demonstrar a sua existência por meio de certos efeitos e vestígios de Deus. De tudo isto resulta a peculiar demonstração da existência de um Deus absconditus. É precisamente a descoberta deste Deus que se manifesta e ao mesmo tempo se esconde que permite documentar a possibilidade de demonstrar que Deus existe e que constitui a base sobre a qual assenta toda e qualquer demonstração da existência de Deus.

Publicado
2019-12-17